Pegue Agora Mesmo Uma Vassoura e Vá Varrer Seu Hotel

Todos estão noticiando sobre a crise no mercado brasileiro e as previsões estão cada vez mais sombrias. Uma rápida leitura nas manchetes dos principais jornais impressos e virtuais são suficientes para nos deixar deprimidos e pensando em ir embora, nem que for para lavar pratos no Canadá. E eu posso falar disso porque frequentemente fico chateada com as notícias e as perspectivas que se apresentam, MAS, ao mesmo tempo eu me lembro que devo FOCAR NAS OPORTUNIDADES e não no buraco negro da crise.

Por outro lado, sei que é difícil não ser contaminado pela cartase que se forma em torno do desespero sobre a falta de perspectivas e, que como em círculo vicioso vai gerando energia negativa que, além de impedir a visão de uma luz no final do túnel, nos projeta para novos pontos negativos que ainda nem havíamos percebido.

Então fazendo um movimento contrário quero convidá-los a pensar em inovação. Sabe por que? Porque eu acredito que nesses momentos difíceis é que temos a oportunidade (obrigação?) de nos reinventarmos. É como a parábola da vaquinha! Alguém empurrou você para fora da zona de conforto! Vamos aproveitar isso! E, não. Não tente voltar para aquele lugar porque ele não existe mais!

Foto: Ramdlon pixabay.com

Quero te convidar a voltar seu olhar para sua própria empresa!

Qual foi a última vez que você olhou para o seu negócio a partir do outro lado da rua? Ou quando foi a última vez que você se colocou no lugar do cliente? Você compraria da sua própria empresa, se ela não fosse sua? Por quê? Ela é atraente? Os produtos e serviços estão bem expostos? A equipe oferece um bom atendimento? O ambiente é limpo, claro, arejado? Seus clientes escolhem a sua empresa pelo preço, pela sua capacidade de vendas, pelo resultado que oferece ou pela falta de opção? Como seu cliente encontra sua empresa?

Eu poderia listar aqui dezenas de perguntas para te ajudar a refletir sobre sua empresa, mas se você responder apenas estas que coloquei, com certeza já terá dado um passo importante.

Vou dizer uma coisa para você: as vezes nós ficamos tão acostumados com nossa empresa que perdemos a noção dos detalhes e nos acomodamos diante dos afazeres do cotidiano. Vou usar como exemplo o ramo da gastronomia, com seus restaurantes! Assim, se tivéssemos um restaurante, estaríamos após anos de funcionamento com a mesma fachada – que hoje já está suja, com as cores apagadas com tons de cinza, os mesmos cardápios ensebados e velhos, teias de aranha no teto, banheiros e pisos encardidos. Sem falar das toalhas de mesa e jogos americanos manchados e desbotados.

Lembro-me de um episódio em que uma consultora disse a um proprietário de restaurante que era preciso inovar e reposicionar-se no mercado, ele então respondeu que não tinha dinheiro para absolutamente nada. Ela respondeu direta: “Mas vocês não têm dinheiro para comprar uma vassoura?”. Foi como um tapa na cara! Então ela começou a pontuar como o restaurante dava a impressão de estar abandonado… a falta de cuidados com a limpeza e a harmonização do ambiente tinham um impacto muito negativo. O papel higiênico e a toalha de papel de baixa qualidade, a falta de sabonete líquido no recipiente, os espelhos manchados e trincados, torneiras pingando e o fato do banheiro ser usado como depósito, piorava ainda mais.

E, conforme ela foi comentando sua percepção o proprietário foi conseguindo ver as mesmas coisas erradas… Situações erradas que ele perceberia em qualquer outro restaurante, que não fosse o seu! Ele apenas tinha parado de olhar para estes aspectos em seu próprio restaurante há muito tempo atrás. Estava amortecido pelos outros afazeres do negócio como, por exemplo, contas a pagar e a receber (fiados), aumento do preço dos alimentos, problemas com a troca constante ou a ausência de funcionários. Preço praticado pela concorrência e o próprio aumento da concorrência. Clientes mais chatos que queriam sempre mais por menos… (Chatos??)

Foto: Pezibear pixabay.com

Lembra do tal do círculo vicioso? É aqui que ele entra: o empresário está tão desesperado olhando para os problemas que isso causa novos problemas, ainda maiores, como o desleixo com o que deveria e poderia estar perfeito (como a limpeza, por exemplo). Um dos resultados disso?! Bom, o estimulo ao aumento da concorrência é um deles! Afinal a empresa está tão fraca, afundando em seus problemas, que as pessoas que olham de fora percebem uma enorme oportunidade para empreender.

E olha que eu nem mencionei a qualidade da comida no restaurante… Afinal, será que perdido no meio desse funil de desespero, a comida ainda tem a mesma qualidade com que se sonhou ter lá no início da atividade empresarial ou que se pensa ter hoje?

E aí eu te pergunto: Será que você não está passando pelo mesmo momento que meu amigo empresário? Será que você está realmente olhando e vivenciando seu negócio?

Vamos pegar umas vassouras, mesmo aquelas velhas que você já tem, e fazer uma faxina?! Precisamos sair dessa zona desconfortável que se tornou “confortável”!

Ana Cristina Trevelin, consultora e diretora da Bionúcleo Gestão e Desenvolvimento – www.bionucleo.com.br

Quais São os Gargalos Gerenciais do Seu Hotel?

Este é o primeiro de muitos artigos aqui no Blog da Kalma assinado pela Ana Cristina Trevelin diretora na Bionúcleo Gestão e Desenvolvimento empresa de consultoria especializada em gestão empresarial no segmento de turismo e desenvolvimento humano, situada em Bonito/MS.
A ideia desta parceria é trazer temas escritos por uma especialista e que sejam interessantes para os empreendedores do segmento de meios de hospedagem, para isso os convidamos a opinar, discutir e sugerir novas abordagens. Será um prazer gerar conteúdo que lhe interesse verdadeiramente. Boa leitura:

Essa semana nós da Bionúcleo realizamos um café, com a metodologia do World Café, aqui em Bonito com os meios de hospedagem com o objetivo de identificar as demandas mais fortes na área de gestão. Foi uma encomenda do SEBRAE-MS e os resultados foram muito bons, mas fiquei pensando sobre os diferentes níveis de maturidade na gestão hoteleira e o que isso implica quando se fala em gargalos gerenciais.

Os problemas mais básicos na gestão dos meios de hospedagem são o desconhecimento dos custos de café da manhã, de lavanderia, de limpeza, de frigobar e até mesmo de captação de clientes. Desconhecer estas informações impede que se faça um cálculo real do valor da hospedagem e se tenha indicadores de desempenho de cada um dos setores que permitam verificar os percentuais da relação entre o faturamento e a lucratividade. Ou seja, de 10 mil reais de faturamento, qual o percentual de lucro real? E essa informação permitirá definir investimentos em revitalização, expansão, inovação e até promoção de equipe.

A taxa de ocupação é o indicador mais simples e por isso mesmo mais utilizado na hotelaria mas ele não pode ser o único a ser observado. Afinal, se o preço estiver mal elaborado em tarifas para grupos e operadoras, por exemplo, e estas forem as principais formas de vendas, pode ser que a empresa esteja só desgastando seu equipamento e equipe. E aí nesse momento percebemos outro gargalo na gestão que é a captação de clientes! Como você faz isso no seu hotel?

Foto: Ben_Kerckx pixabay.com

Foto: Ben_Kerckx pixabay.com

Tenho ouvido empresários dizerem que vinculam a maior parte de suas vagas para as agências online, como a Ebooking, TripAdvisor e Trivago por exemplo, e ficam com 30 a 40% das vagas para serem comercializadas no balcão. E aí fico pensando no quão estratégico é isso quando a empresa não tem diferenciais competitivos bem marcados e definidos…. Explico: uma cama king size confortável, uma ducha gostosa e lençóis macios são obrigação do meio de hospedagem! Não é diferencial, a não ser que estejamos falando de um hostel, aí nesse caso, se ele oferecer camas grandes, diferentes dos habituais beliches, aí sim teremos um diferencial! Expliquei direito?

Vou explicar mais! Hotéis e pousadas também precisam definir seu público-alvo para então definir quais serviços agregar, que tipo de comunicação utilizar e em que canal anunciar, além de permitir decidir que tipo de pessoas devem ser contratadas e como devem ser treinadas, por exemplo. O meio de hospedagem que diz que atende a todos, não atende ninguém, especialmente em ambientes competitivos como em destinos turísticos já consolidados como é o caso de Bonito/MS, Paraty/RJ, Montes/MG ou Gramado/RS. É preciso definir um público-alvo para então decidir que estratégias serão utilizadas para se aproximar e fidelizar esse cliente.

Foto: TesaPhotography pixabay.com

Quando não há esse tipo de posicionamento claro o meio de hospedagem fica em desvantagem na prateleira de agências e operadoras, passando a ser comprado e não vendido! Ou seja, ele é apenas escolhido em momentos de alta temporada, quando os mais competitivos já estão lotados, ou o que é pior é escolhido pela operadora porque ela espreme o comissionamento o máximo possível. E neste último caso, o empresário está na mão da operadora e não em uma posição de parceria.

Esse não olhar para o aspecto mercadológico deixa o empresário completamente refém de disputas e comparações de preço e não de valor agregado para o cliente.

Outro gargalo muito forte na hotelaria é a captação, formação e retenção de equipe. Ouço muito as pessoas dizerem que não há pessoas capacitadas, mas sinceramente penso que o empreendedor deve encarar isso como “ossos do ofício” e resolver. Parar de reclamar é um começo excelente! Afinal a situação está posta, é esta, ponto. Deve-se considerar o investimento constante em treinar pessoas e mais do que isso, deve-se pensar em como selecionar as pessoas certas através de ferramentas profissionais de entrevista e seleção, bem como identificar as melhores ferramentas para reter estas pessoas na equipe. Quais os incentivos, benefícios e políticas devem ser assumidas para se manter um ambiente organizacional sadio e estimulante?

Lembre-se também que as novas gerações não querem mais ficar muito tempo no mesmo emprego, então, talvez a média de tempo que um bom funcionário ficará em sua equipe será de 2 a 4 anos. E não mais 10 ou 15…. Encarar esse fator como realidade é um bom começo. E é menos frustrante.

O treinamento e o gerenciamento de pessoas deve ser constante e falar disso me lembra de um hoteleiro que uma vez me disse que estava muito cansado de ter que repetir todos os dias as mesmas coisas para as camareiras. Eu disse para ele que o trabalho delas era limpar todos os dias os apartamentos (com todo o esforço físico que isso significa) e o trabalho dele era conferir todos os dias o trabalho delas. É isso! Bem-vindo ao jogo. Aquela ideia que alguns tem sobre descansar e comprar uma pousada, te digo que é a ideia mais furada do mundo! Tem muito trabalho meu amigo.

Você já parou para pensar nas suas dificuldades de gestão? Eu só falei algumas aqui… Em que momento sua empresa está? Sua maturidade gerencial pode ser percebida pelos diferentes gargalos que o incomodam….

Ana Cristina Trevelin – Diretora na Bionúcleo Gestão e Desenvolvimento

Lucre Com a Venda das Rede Kalma

Muitos dos hóspedes ao deitar na rede Decor Kalma a primeira coisa que dizem é: Nossa onde eu compro uma destas?embalagem
Para que o seu estabelecimento satisfaça o hóspede e o faça voltar para casa com uma lembrança de momentos especiais, a Kalma esta proporcionando que seu hotel ou pousada tenha a disposição e ofereça aos hóspedes a rede Decor Kalma.
Além do fato de satisfazer o hóspede garantimos uma ótima margem de lucro para seu estabelecimento.
Muitos hotéis e pousadas já estão revendendo e todo mês repondo o estoque, não fique de fora dessa.
Kalma roxa
Para saber mais como revender os produtos da Kalma no seu hotel ou pousada envie um email para kalma@kalma.com.br ou ligue 11 3722-3905

Sites Ajudam a Encontrar Pousada e Hotéis

Uma pesquisa do Google revelou que 89% dos entrevistados Hotel utilizaram pelo menos uma fonte de informação on-line para procurar um hotel/pousada antes de viajar.
Por isso abaixo segue uma seleção de sites que auxiliam na busca de hospedagem:

TripAdvisor

Booking

Tablet

Expedia

Decolar

Seu estabelecimento está lá? Seus concorrentes estão lá? Dê uma espiada na avaliação dos hóspedes dos seus concorrentes para saber qual são os defeitos deles e as oportunidades que seu estabelecimento pode aproveitar.

Dicas Para Motivar Sua Equipe

Por Diego Berro

O que mais observo nas empresas onde desenvolvo algum trabalho por todo Brasil, é que a maior motivação é a que menos se precisa investir. Não é a motivação em dinheiro e sim a motivação que surge pelo relacionamento interpessoal.

O Colaborador tem uma necessidade de ser valorizado. Trabalhar em um ambiente propício a um crescimento pessoal e profissional é a maior motivação. Muitas vezes isso se concretiza quando os gerentes e os diretores passam a ouvir um pouco mais os funcionários.Equipe

Se preocupar com o ser humano! A empresa onde eu vi os funcionários mais motivados, em toda minha vida, foi exatamente a empresa que se preocupava com eles, investindo maciçamente, por exemplo, em qualidade de vida.

O empresário deve entender antes de tudo, que acima de qualquer outra coisa, lidamos com seres humanos, pessoas que têm família, necessidades, problemas emocionais e por isso é preciso entendê-los e não tratá-los simplesmente como simples robôs, como vejo acontecer em muitas empresas.

Certa vez, um empresário me disse que nunca fez nada pelos funcionários, porque os 85 funcionários que tinha serviam somente para carregar caixas. Então perguntei a ele se ele achava que a qualidade de vida de seus funcionários era importante para ele e para a empresa. Ele disse que não e ainda frisou: “Nem um pouco!” Isso acontece nas empresas com muito mais frequência do que se imagina.

Para que você possa motivar um vendedor, em primeiro lugar você tem que ser flexível. Não existe uma forma milagrosa que serve para todos, até porque cada ser humano é um, com suas características e individualidades. Por isso, a flexibilidade de entender o que motiva cada um do grupo é fundamental para se conseguir resultados extraordinários no coletivo.

Essa é a forma mais eficaz de se motivar uma equipe de vendas ou de qualquer outra função a um menor investimento possível. Para colocar em prática, precisa apenas ser humanista, ter bom senso, disposição e boa vontade.

Eu enumerei abaixo (não está necessariamente em ordem de importância) 10 atitudes excelentes para Continue reading →

Seus Hóspedes Merecem um Email de Aniversário

Ao não usar o emailmarketing para desejar feliz aniversário aos seus hóspedes você esta perdendo uma grande oportunidade, uma vez que uma pesquisa da Experian revelou que os emails de aniversário tendem a ter resultados melhores, algo em torno de 300% a mais de visualizações e 100% a mais de retorno de cliques em relação às outras ações.Birthday

Abaixo algumas dicas que podem ajudar seu estabelecimento a receber os hóspedes mais de uma vez:

1- Tenha um banco de dados atualizado principalmente com a data de nascimento de todos os hóspedes. Caso o banco de dados não esteja completo faça uma campanha de recadastro e melhore seu formulário de check-in.

2- Envie um email personalizado pois ao incluir o nome ( não use letras maiúsculas) e outro dado pessoal, fará muita diferença criando uma conexão com o futuro hóspede.

3- Não se restrinja as datas de aniversário, mande também para as datas de aniverários de casamento para uma nova lua de mel com desconto especial.

4- Cuidado com o excesso de imagens, afinal email foi criado para enviar texto, além do que o seu email pode ser barrado pelo filtro de spam se tiver muito carregado.

Lançamento Encurtador de Redes Kalma

Para garantir o conforto e o uso adequado da rede ela precisa estar na altura correta. Nem sempre, o tamanho da rede é compatível com a distância entre os ganchos, o que gera problemas ergonômicos durante o uso.
O encurtador de redes Kalma é um produto para encurtar redes de descanso com segurança (deixando-a mais alta) através de uma instalação simples e elegante.
Suas características são:
• Capaz de encurtar a rede em até 40 cm por par;
• Pode ser instalado nas duas extremidades;
• Substitui outras formas improvisadas de encurtar;
• O uso correto da rede previne problemas de coluna.

Atendimento ao Cliente

FORNECIMENTO DE SERVIÇO SUPERIOR AO CLIENTE

Adaptado de conteúdo extraído do American Express® OPEN Small Business Network

Você pode usar o atendimento ao cliente como uma ótima maneira de destacar-se de sua concorrência. Esse é um dos pontos fortes de uma empresa de pequeno porte e, ao enfatizar o atendimento ao cliente, é possível competir com empresas maiores, capazes de oferecer mais variedade, preços mais baixos e benefícios que você não é capaz de bancar. Porém, muitas pequenas empresas são deficientes na categoria de serviço ao cliente. Por quê? A ignorância é um dos motivos. Simplesmente não existem muitos exemplos de bom atendimento ao cliente a partir dos quais modelar sua empresa.

Para garantir que o atendimento ao cliente tenha nota alta, descubra o que seus concorrentes estão fazendo , imite-os e seja melhor que eles. Leia livros ou ouça fitas de pessoas que estudaram empresas orientadas ao atendimento do cliente, como Neiman Marcus, e veja que lições você pode aprender com esses especialistas. Empreendedores bem sucedidos estão sempre buscando formas de melhorar todos os aspectos de sua empresa.
No momento, vamos fornecer cinco máximas para ajudá-lo a alavancar o status de sua pequena empresa no que se refere a fornecer o melhor atendimento possível ao cliente

1) Desculpe-se, não discuta

Se um cliente tem um problema, desculpe-se e resolva o problema. Não deixe de permitir que os clientes dêem vazão às suas queixas, mesmo que você se sinta tentado a interrompê-los e corrigi-los. Em seguida, conceda-lhes um reembolso, um novo item ou qualquer coisa que resolva o problema. Discutir ou questionar um reembolso cria indisposições. Repare os erros imediatamente. Lembre-se de que uma reclamação sobre a sua empresa é uma oportunidade para inverter a situação e criar um cliente leal. Obviamente, existirão algumas solicitações de clientes ultrajantes demais para concordar. Nesse caso, faça o melhor para oferecer uma alternativa moderada e atraente.

2) Opiniões ajudam-lhe a manter o foco

Solicite aos seus clientes que avaliem os seus serviços regularmente. Isso pode ser feito por meio de um pequeno questionário, incluído em cada produto vendido ou enviado pelos correios aos principais clientes. Mantenha o questionário breve, para que não seja um incômodo para os clientes, e deixe claro para eles que podem se recusar a participar. Sempre informe aos clientes que a finalidade da pesquisa é poder atendê-los melhor. Se eles responderem à pesquisa e não houver problemas, será um lembrete dos bons serviços prestados por você. Se houver problemas, eles poderão ser resolvidos.

3) Mantenha-se flexível

Você deve ser flexível com seus compradores e clientes. Isso significa fazer um projeto para um cliente em um estalar de dedos, marcar uma reunião pela manhã mesmo que você goste de dormir até mais tarde e aos sábados ainda que você normalmente reserve seus finais de semana para si mesmo.

Flexibilidade também pode significar obter informações para o cliente, ainda que isso não seja de sua área de especialização. Digamos, por exemplo, que você esteja cuidando de um casamento e o cliente precise de informações sobre costumes de festas de casamento irlandesas. É tão fácil ligar para a biblioteca local e passar as informações por fax para seu cliente quanto dizer “não faço a menor idéia”. Fazer esse esforço extra, no fim das contas, resultará em um cliente muito satisfeito.

4) Sempre diga “sim”

Isso não significa desistir de sua vontade pessoal em favor dos clientes, mas sim encontrar uma forma de ajudá-los com suas solicitações. Se você gerenciar uma loja de presentes, você pode embrulhar para presente o item de um cliente importante, mesmo que, normalmente, você não embrulhe para presente. Você pode ficar até tarde para terminar um projeto caso o prazo de um cliente mude repentinamente ou viajar sob uma nevasca para atender um cliente mesmo que isso não seja agradável para você. Sempre dizer sim significa que a frase “isso não é possível” deve ser de uso proibido em seu negócio. Você não pode se dar ao luxo de usá-la. Pode ser que isto soe caro e inconveniente, e talvez realmente seja, mas é mais barato do que perder um cliente e ter de gastar tempo e dinheiro para fisgar um novo.

5) Prometer menos, entregar mais

Faça seus clientes acreditarem que são importantes para você, parecendo sempre ir um passo além. Crie uma pequena folga em um prazo e entregue antes. Estime que um serviço irá custar mais do que você acredita e barateie-o.

Muitas pequenas empresas cometem o engano de inverter esta máxima, prometendo mais e entregando menos. É uma verdadeira receita para o desastre. Você pode fechar o negócio, mas com o seu nível de serviço será difícil competir. Se um ciclo de 24 horas constitui a excelência de serviço em seu setor de atividade, não o prometa em 12 horas apenas porque o cliente está pedindo.

Fonte: SME Toolkit

Como Sobreviver Com As Grandes Redes de Hoteis

Cada vez mais difícil é a concorrência no ramo hoteleiro com a entrada de grandes redes de hotéis e suas políticas de preços, pagamento facilitado e extensa participação na mídia.
Se você pequeno administrador de pousada não tiver preparado e com algum conhecimento de marketing, finanças e administração, o seu dia-dia vai se tornar cada vez mais difícil.

Segue abaixo algumas dicas de como lidar com essa concorrência:

1- Segmentação – Possibilita ter uma melhor margem de lucro, pois competir com preços não é uma boa estratégia. A criação de um nicho personalizado, satisfaz um grupo seleto de clientes.
2- Especialização – Excelência em um determinado tipo de produto ou em uma atividade específica do mercado;
3- Colaboradores – Invista na qualidade dos funcionários. Como diz o lema da Disney: “Pessoas-Funcionários bem preparados e felizes fazem Pessoas-Clientes felizes.”
4- Presentes – Invista nos presentes que ficam a disposição dos hóspedes. Quantos “mimos” são possíveis de oferecer? Um hotel americano ofereceu 4 câmeras de vídeo para serem utilizadas pelos hóspedes durante a hospedagem. Eles poderiam filmar a viagem e o hotel, gravar em seus pen-drives e computadores e mandar para seus emails, com a única obrigatoriedade de devolver a filmadora no check out. Uma grata surpresa para o hotel foi ver a receptividade dos hóspedes, os elogios da mídia especializada e os inúmeros vídeos postados na internet pelos hóspedes falando sobre sua experiência no hotel. Imagine quanto eles economizaram em propaganda e relações públicas só com essa ação.
5- Mantenha suas tarifas – Pesquisas já comprovaram que isso, a longo prazo, prejudica a imagem do hotel perante o mercado e não traz recuperação financeira. Se, em um momento de baixa demanda, a tentação for inevitável, faça isso com negociações pontuais, como grupos, por exemplo. Não mexa nas suas tarifas públicas.
6- Invista na sua própria homepage. Se deixá-lo desatualizado e/ou sem graça, os potenciais hóspedes pensarão o mesmo dos seus apartamentos. Deixe fotos (de alta resolução), vídeos (se possível), promoções, opções de entretenimento e espaços funcionais do seu hotel, etc. Quanto mais imagens o site mostrar, mais confiante, ansioso e pronto para efetuar a reserva ficará seu futuro hóspede. E, finalmente, torne fácil para os visitantes encontrar a informação desejada, tarifas, disponibilidades e, principalmente, TODOS os contatos possíveis;
7- Parcerias – afiliação com alguma associação hoteleira que sustente um posicionamento coerente com o do seu hotel pode ajudar na validação da sua qualidade, exposição no mercado e conseqüente volume de negócios. Mas analise bem os “fees” a serem pagos.
8- Experiência única – Seu estabelecimento deve ser uma experiência única de estadia, tanto a física como a virtual. Um diferencial intangível, quase impossível da concorrência copiar e que se sustenta à longo prazo;
9- Email Marketing – O máximo de personalização, interatividade e links para sua homepage. Monitore e tenha um bom sistema de “tracking”. Quanto ao “mailing”, atualização constante. E constante não é uma vez por semestre, mas quase diariamente. Enviar somente para quem desja receber novidades e não seja um hotel “chato virtual”. Cuidado com a quantidade e relevância desses emails;
10- Faça de seus clientes, vendedores – Encante seu cliente e ele venderá seus serviços ou produtos de maneira brilhante. Uma indicação de um amigo vale mais do que mil propagandas no horário nobre da TV. Faça com que seu cliente venda o seu produto e faça propaganda dele gratuitamente através de uma opinião favorável, de uma camisa, de um cd personalizado, de qualquer lembrança que seja útil, única ou especial para ele.
Uma dica, um cliente só se torna vendedor daquela empresa ou produto que lhe encantou, que superou suas expectativas. Se você fizer tudo certinho, não conseguirá clientes vendedores, você tem que fazer algo a mais. Surpreender.

Fonte: Hotelaria & Hospitalidade e Hoteliernews.

Criou Página da Pousada no Facebook, E Agora?

Depois que criou a página empresa no Facebook ( ainda não criou? não sabe como? Esse tutorial vai lhe ajudar: Facebook Empresas ) sabe o que você deve fazer para atrair mais fãs? Segue abaixo alguma dicas que podem ajudar o seu estabelecimento a atrair hóspedes através de uma abordagem mais estratégica:

1- Primeiramente analise seu público-alvo e seus hábitos de compra e como eles costumam usar as redes sociais para assim elaborar uma estratégia de marketing digital;
2- Crie uma página de lugar para que os hóspedes possam fazer o “check-in” ao visitar seu estabelecimento.
3- Estabeleça metas baseado na estratégia de marketing que você criou;
4- Tenha mais de um administrador pois isso irá gerar mais conteúdo;
5- Incluir o botão “curtir” no site do estabelecimento e provoque os leitores para clicar;
6- Faça um convite para sua base de email informando que a seu estabelecimento agora esta fornecendo conteúdo do interesse dele no Facebook;
7- Crie promoções exclusivas na pagina da empresa no Facebook, mas antes conheça as regras de promoções para não ter sua página excluída: Regras de promoções.
8- Atendimento nota 10. Não apague as críticas, responda todas em tom profissional e de preferência tente entrar em contato verbalmente com os clientes que estão com problemas mais graves. O Facebook é um ótimo lugar para mostrar a excelência no atendimento que seu hotel ou pousada tanto preza.
9- Monitore seu sucesso através do Facebook Insight, ferramente gratuita para que possa entender que tipo de conteúdo agrada mais o seu público.
10- Forneça mais conteúdo e menos propaganda. Para cada 8 conteúdos faça uma propaganda, ou então dentro do conteúdo inclua uma oferta discreta pois se encher os fãs de propaganda e não fornecer conteúdo de qualidade sua página irá perder o interesse em pouco tempo.

Fontes: Social Media Today e Dlojavirtual